• Youtube
  • Twitter
  • Facebook

Jesus, como homem, tinha sentimentos humanos. Ele foi o único que nasceu com um destino pré-determinado. Deus, todavia, nos deu uma história e também deu um livro em branco, no qual o homem pode continuar ou modificar a própria história. Ele não escreveu uma história de dores ou assassinatos para o homem, nem nos deu filhos para a perdição. Jesus, enquanto filho de Maria, recebeu toda a carga inerente aos humanos.

O texto de Lucas 13.10-15 descreve Jesus expressando seu sentimento como homem, incomodando-se com o problema de uma mulher que entrara na sinagoga com um espírito de enfermidade. Jesus curou essa mulher encurvada, enquanto pregava na sinagoga, em pleno sábado, quando os judeus não acendem sequer o fogo em suas casas. Ao ver aquela mulher encurvada, compadeceu-se dela, parou a pregação e a chamou. Jesus identificou espiritualmente que era um espírito imposto por Satanás, que tomara aquela mulher havia 18 anos. No entanto, a mulher encurvada não pediu nada a Jesus. Apenas o ouvia na sinagoga. Jesus a chamou com carinho, tocou-lhe e disse: “Você vai ficar livre.” Jesus não é um qualquer, mas é o Cristo, a expressão do amor de Deus. Ele quebrou todos os paradigmas do judaísmo   para curar a mulher encurvada.

Após curada, aquela mulher começou a glorificar a Deus, sendo repreendida pelo chefe da sinagoga, para quem o lugar era mais importante que Deus. Porém, para Jesus, o mais importante era curá-la. Ele manifestou o amor de Deus para com a humanidade, pois para o Senhor todos são importantes. Às vezes você pensa que Deus não se interessa por você e o Diabo começa a trabalhar nas coisas que você não tem. Todavia, é preciso glorificar a Deus pelas coisas boas que Ele fez. Após ser curada por Jesus, a mulher saltou de alegria e glorificava.

Todos se indignaram com o que Jesus fizera, principalmente o chefe da sinagoga. Mas Jesus apenas respondeu: “Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber?” Jesus não teria motivos para não libertar aquela filha de Abraão que, por 18 anos, sofrera dores físicas e torturas espirituais, porque o Satanás a havia prendido.

Hoje, Jesus continua disposto a quebrar as correntes que o prendem ao pecado, à depressão ou à falta de esperança. Ele está esperando por você, de braços abertos, para libertá-lo e fazer morada em seu coração.

Jorge Linhares
Mensagem ministrada no Culto Pastoral de 01 de janeiro de 2017, adaptada por Ivany Rocha

Comentários

Nenhum Comentário

Comentário estão bloqueados.