• Youtube
  • Twitter
  • Facebook

É muito importante entendermos com clareza o que é arrependimento. Nós estamos rodeados de conceitos do mundo e de conceitos religiosos que não definem exatamente nosso problema para com Deus, não resolvendo e nem efetuando, na verdade, uma mudança plena em nossa maneira de viver.

Pelo conceito comum, arrependimento é entendido por um sentimento de tristeza em relação aos pecados cometidos. O que podemos chamar de remorso? Remorso é quando temos uma espécie de inquietação, de culpa pela prática de algo. Porém, o remorso não nos leva ao arrependimento genuíno. O remorso não vai além da culpa por ter cometido algo reprovável. Ele não produz mudança de vida.

MUDANÇA DE ATITUDE JÁ!

A Bíblia afirma em Marcos 1.14-15: “E, depois que João foi entregue à prisão, veio Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho do reino de Deus, e dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.”

No grego, a palavra “metanoia” significa mudança de mente. O ponto básico para entendermos é que arrependimento é uma mudança de atitude. O nosso maior problema para com Deus não está nas coisas erradas que fazemos (atos), mas, sim, na nossa posição (atitude interior) de independência e rebelião para com Ele. Na verdade, todos os meus atos são decorrentes de uma atitude e uma disposição interior que tenho em relação a Deus. Quando, em meu interior, há um princípio de independência (faço o que quero, sou dono da minha vida), obviamente os meus atos e as coisas que eu vou fazer no meu dia a dia não vão agradar a Deus. O objetivo de Deus é atingir a raiz do problema: que eu mude de atitude. De uma atitude de independência para uma atitude de dependência, de uma atitude de rebeldia (faço o que me dá na cabeça) para uma atitude de submissão (estou sujeito a Cristo em tudo). Quando mudamos nossa atitude para com Deus, mudam também os nossos atos. Quando mudo somente meus atos (deixo de fazer algumas coisas que considero erradas, mas permaneço no meu interior com a atitude de independência), logo volto a praticar os velhos e conhecidos atos.

Com isso, Deus nos dá uma nova fonte de vida e, não um código de moral. É marcante a diferença entre a essência que a vida produz e a aparência que decorre do código de moral.

Este arrependimento ocorre na vida daquele que tem a fé verdadeira, produzida no coração pela proclamação da verdade de Cristo. A pessoa entende que Ele é o Filho de Deus, que Ele é o Senhor e o porquê da Sua obra.

Podemos observar no mundo de hoje três tipos de homens. O primeiro não quer ouvir sobre arrependimento, o segundo tem algumas ideias confusas a respeito e o terceiro tem uma nova vida com Cristo Jesus. São eles o incrédulo, o religioso e o discípulo de Jesus. O incrédulo ainda não experimentou do amor e do perdão de Cristo. O religioso não chegou a experimentar um verdadeiro arrependimento, tem Cristo como algo importante em sua vida, mas não O tem como Senhor absoluto em sua vida. Já o discípulo desfruta da comunhão e direção espiritual todos os dias de sua vida.

Pra. Elcione Galantini

Comentários

Nenhum Comentário

Comentário estão bloqueados.